25 de out de 2010

Album Baby Blue

            Já tem um tempinho que não deixo registrado alguma coisa no meu blog... Mas, hoje estarei postando aqui um álbum que intitulei Baby Blue. É muito fofinho.. Eu o montei a partir das imagens abaixo que encontrei na internet, mas especificamente no blog Amanhã é outro dia.

 

Abaixo posto o álbum Baby Blue. São aproximadamente 21 frames ou páginas que dá para compor um álbum para menino. Fiquem à vontade e até a próxima postagem. 
Cliquem na imagem para download do álbum.

5 de jul de 2010

Ser humano..


Ser humano, no sentido de agir, é amar ao próximo diferentemente de qual classe social, gênero ou etnia ele pertença... é amar ao próximo independentemente dele ser uma pessoa "normal" ou com algum tipo de deficiência física ou mental. Ser humano é pensar, agir e sentir sempre se colocando no lugar do outro...
Pois bem, ninguém é obrigado a pegar um ônibus todo arrumadinho e cheirosinho... Ainda que isso pegue muito mal e demonstre falta de higiene. Mas dependendo do trabalho ou do afazer da pessoa, esta possa ser um condição rotineira dele o fazer. O que quero dizer é que hoje pela manhã peguei um ônibus, não muito lotado... na parada seguinte, um senhor adentrou-se e vi - ainda que a cobradora tentasse disfarçar - o olhar e o torcer de lábios, ao homem que educadamente lhe dera bom dia. Esse mesmo homem estava vestido com roupas aparentemente sujas, ele com expressão de cansaço e cabelos desarrumados... Concerteza estava vindo do trabalho... Ao perceber que eu havia visto o gesto dela e não disfarcei em nenhum momento o meu tom de reprovação (ao gesto da cobradora), a cobradora disfarçou fazendo-se estar olhando uma revista. Uma senhora (passageira do ônibus) também se sentiu constrangida ao sentar-se perto deste senhor... Constrangimento este percebido por outro rapaz que lhe cedera a cadeira na qual sentava. Constrangimento? Como será que este senhor também deveria estar se sentindo? Será que ele não estaria envergonhado por sua condição naquele momento? Dava para perceber pelos olhos cabisbaixos dele... 
São pequenos gestos como esse que traduzem quem nós somos. Se vimos uma pessoa arrumada, bem vestida e higienicamente "limpa" por fora, temos todo o gosto de sentarmos perto, de cumprimentar... ainda que essa mesma pessoa tenha o pior caráter do mundo. Agora quando se trata de um senhor como o descrito acima, torcemos os lábios em tom de desaprovação, temos medo e receio de sentarmos perto... pensamos logo no pior... e essa pessoa sim, pode ser a pessoa mais honesta do mundo. Que contradição não é mesmo?! Mas é a nossa realidade.
Não sei se eu acordei com o pé esquerdo hoje, mal humorada ou coisa do tipo para enxergar o lado negativo das coisas. Mas injustiças como essas passam despercebidas por nós todos os dias e só sentimos quando é conosco ou com alguém próximo. Dê a oportunidade de um trabalho digno a essa pessoa e melhores condições de vida a ela e veja a transformação pela qual ela passará... Ninguém anda sujo e mal vestido por que quer (salvo algumas e raras exceções)... Pense antes de torcer os lábios e olhar com pavor essas pessoas que lhe cumprimentam, pois elas são trabalhadoras como qualquer outra e merecem tanto respeito quanto nós. Pelo menos não estão roubando, matando ou fazendo loucuras para se sustentar e sustentar sua família...   

O que é real e o que é virtual


Agora pouco, enquanto redigia o post "Ser humano...", recebi um e-mail de um amigo com aquelas mensagens de reflexão. Li e que coincidência! Bate com o post acima citado... O título é "O que é real e virtual"
"Entrei apressado e com muita fome no restaurante.   
Escolhi uma mesa bem afastada do movimento, pois queria aproveitar os poucos minutos de que dispunha naquele dia atribulado para comer e consertar alguns bugs de programação de um sistema que estava desenvolvendo, além de planejar minha viagem de férias, que há tempos não sei o que são.  
Pedi um filé de salmão com alcaparras na manteiga, uma salada e um suco de laranja, pois afinal de contas fome é fome, mas regime é regime, né? Abri meu notebook e levei um susto com aquela voz baixinha atrás de mim:  
-Tio, dá um trocado? 
- Não tenho, menino. 
- Só uma moedinha para comprar um pão.  
- Está bem, compro um para você.   
Para variar, minha caixa de entrada estava lotada de e-mails. Fico distraído vendo poesias, as formatações lindas, dando risadas com as piadas malucas. Ah! Essa música me leva a Londres e a boas lembranças de tempos idos.  
- Tio, pede para colocar margarina e queijo também?  
Percebo que o menino tinha ficado ali. 
- OK, mas depois me deixe trabalhar, pois estou muito ocupado, tá? 
Chega a minha refeição e junto com ela o meu constrangimento. Faço o pedido do menino, e o garçom me pergunta se quero que mande o garoto ir. Meus resquícios de consciência me impedem de dizer. Digo que está tudo bem.  
- Deixe-o ficar. Traga o pão e mais uma refeição decente para ele. 
Então o menino se sentou à minha frente e perguntou:  
- Tio, o que está fazendo? 
- Estou lendo uns e-mails. 
- O que são e-mails? 
- São mensagens eletrônicas mandadas por pessoas via Internet.. 
Sabia que ele não iria entender nada, mas a título de livrar-me de maiores questionários disse: 
- É como se fosse uma carta, só que via Internet.   
- Tio, você tem Internet?   
- Tenho sim, é essencial no mundo de hoje. 
- O que é Internet, tio? 
- É um local no computador onde podemos ver e ouvir muitas coisas, notícias, músicas, conhecer pessoas, ler, escrever, sonhar, trabalhar, aprender. Tem tudo no mundo virtual. 
- E o que é virtual, tio? 
Resolvo dar uma explicação simplificada, novamente na certeza que ele pouco vai entender e vai me liberar para comer minha refeição, sem culpas. 

- Virtual é um local que imaginamos, algo que não  podemos pegar, tocar. É lá que criamos um monte de coisas que gostaríamos de fazer. Criamos nossas fantasias, transformamos o mundo em quase como queríamos que fosse. 
- Legal isso. Gostei! 
- Mocinho, você entendeu o que é virtual? 
- Sim, tio, eu também vivo neste mundo virtual. 
- Você tem computador? 
- Não, mas meu mundo também é desse jeito... Virtual.  Minha mãe fica todo dia fora, só chega muito tarde, quase não a vejo. Eu  fico cuidando do meu irmão pequeno que vive chorando de fome, e eu dou  água para ele pensar que é sopa. Minha irmã mais velha sai todo dia, diz que vai vender o corpo, mas eu não entendo, pois ela sempre volta com o corpo. Meu pai está na cadeia há muito tempo. Mas sempre imagino nossa família toda junta em casa, muita comida muitos brinquedos de Natal, e eu indo ao colégio para virar médico um dia. Isto não é virtual, tio?   
Fechei meu notebook, não antes que as lágrimas caíssem sobre o teclado. 
Esperei que o menino terminasse de literalmente 'devorar' o prato dele, paguei a conta e dei o troco para o garoto, que me retribuiu com um dos mais belos e sinceros sorrisos que eu já recebi na vida, e com um 'Brigado tio, você é legal!'. Ali, naquele instante, tive a maior prova do virtualismo insensato em que vivemos todos os dias, enquanto a realidade cruel rodeia de verdade, e fazemos de conta que não percebemos!

28 de mai de 2010

No ônibus - parte III: para encerrar a semana


Olá! Hoje encerro as postagens dessa semana contando mais um fato verídico que ocorreu dentro do "busão"... Na verdade, hoje estou aqui para dizer que nem tudo vai aos trancos e barrancos, empurrões e pisões no pé dentro de um ônibus lotado no começo ou no final do dia... não... existem aqueles dias que damos a sorte de pegar um "motora" e uma cobradora bem humorados e de bem com a vida. Bem, meus caros, esta semana tive a sorte de pegar um ônibus (indo pro serviço) onde a cobradora estava até muito feliz, bem humorada e até ganhei um elogio pelo sinal (que eu amo por sinal) que tenho quase no meio da testa (sim, quase porque ele - o sinal - é meio torto..rsrsrs). Pois bem, a cobradora além de elogiar-me e desejar bom dia, agradeceu o dinheiro que dei a ela trocado e perguntou como eu estava... educadamente, sorri, agradeci os elógios e disse que estava tudo bem. E como começara bem o meio dia... ai que me dera se todas as manhãs eu pegasse um "buso" assim, alto astral... Isso é que é prestação de serviços... rsrsrs e uma questão de educação! Respeite e serás respeitado. E outra: quando você trata os outros bem, você também será tratado do mesmo modo! Byby! Até a próxima semana, se Deus quiser!

27 de mai de 2010

Convite de Aniversário - Ursinho Pooh


Este convite foi montado por mim, utilizando frames, papers e elementos para montagens de fotos - encontrados na internet. Foi elaborado para a festa de 1 ano.

Convites de Aniversário - Mickey


Este foi o primeiro convite 'organizado' por mim, montado a partir de uma moldura já pronta do Álbum do Bebê tema Michey. Foi da festinha de 1 ano do meu filho.

Santa educação...


Lá vou eu outra vez! Isso aconteceu ontem quando eu voltava pra casa. Duas cenas típicas de ônibus lotado, mas que me encomodam bastante. A primeira delas foi de uma moça que começou um bate boca com a cobradora sem motivo algum. Aliás, motivo até tinha... mas era ela (a passageira) a errada. Caracas, com esse novo sistema de bilhetagem eletrônica sabemos (pelo menos era pra sabermos) que você só pode passara o cartão se você for passar para o outro lado, certo? Pois bem, caso você passe o cartão e não passe durante alguns segundos, a catraca trava e você terá de passar o cartão de novo e lá se vai mais uns trocados... Justamente foi essa a briga do "busão". A passageira barraqueira, passou o seu cartão e após alguns segundos a cobradora a alertou para que passasse, senão a catraca iria travar e o resto já sabemos... Pra quê que a cobradora foi dizer isso... a confusão se armou... com o ônibus cheio, a idéia estúpida da passageira foi passar o cartão e ficar na catraca esperando lugar para poder passar... qual era a dela, se o ônibus tá cheio, eu fico na frente e só passo o cartão caso desse para eu passar... certo? Errado para a passageira que se achou ofendida quando a cobradora a alertou para o problema que seria se ela não passasse logo... foi um estica e puxa... e a passageira dizendo que o erro era da cobradora, em ter liberado a catraca vendo que o ônibus tava lotado e a cobradora, nervosa que já estava, tentando explicar que ela apenas a alertou... 
Uma outra situação foi já na minha chegada a parada... caramba! Oh povo que tá com uma mania feia... nem bem o ônibus abre a porta traseira para os passageiros descerem, as pessoas que estão na parada começam a invadir (literalmente), sem deixar nem ao menos as pessoas descerem do ônibus. Outro dia, uma senhora ia ficando presa na porta do ônibus por causa disso.
Com toda sinceridade, tá faltando muito simancol e muita, muita educação para as pessoas aqui...

26 de mai de 2010

Moldura Branca de Neve


Sonho de menina não é mesmo! Socializando a moldura com o tema Branca de Neve.


Álbum Moranguinho

Este álbum foi encomendado por uma amiga, para o aniversário de um ano de Sara. As molduras eu encontrei na internet, no blog Máscaras Digitais, e são lindas. As imagens estão hospedadas no servidor Hotfile e estão em png. São mais ou menos de 10 a 15 molduras para compor o seu álbum. Clique na imagem para fazer o dowload do arquivo.


25 de mai de 2010

Lembrancinhas Chá de Bebê


Estas aqui foram às lembrancinhas que ajudei a fazer para o chá de bebê da minha chefe Ela deu a idéia e comprou todo o material e nós conseguimos fazer essas coisas fofas. Elas também podem ser feitas para batizado, colocando dentro do vidrinho água benta.

Primeiras Molduras Moranguinho

Primeiras molduras com o tema Moranguinho que consegui fazer. Socializando com vocês!



Molduras Natureza

Aqui vão as minhas primeiras molduras feitas com elementos, papers e frames encontrados pela internet.




Pulseiras do Sexo – Alerta Vermelho!


Faz tempo que recebi um e-mail falando sobre essas pulseiras do sexo. No princípio até achei que era bobagem e até comentei com uma amiga, que por sua vez fez o seguinte comentário: "... mas isso não deve ser aqui não. Deve ser pra fora". Pois bem, as modas de fora são as que mais pegam no Brasil, aliás, nem lembro se existe algo aqui que seja originalmente nosso e não copiado dos United States (Estados Unidos). 
Não demorou muito tempo para comprovar isso... antes mesmo de sairem as noticias das conseqüências negativas dessas pulseiras nas mídias, presenciei um grupo de meninas da rua onde moro - inclusive uma delas tem 9 anos de idade apenas - conversando sobre o significado de cada cor. Depois disso, começaram a sair comentários sobre as pulseiras, vendidas livremente pelos comércios e compradas por qualquer um queira adquirí-las, incluindo Depois disso, começaram a sair comentários sobre as pulseiras, vendidas livremente pelos comércios e compradas por qualquer um queira adquirí-las, incluindo CRIANÇAS MENORES DE 12 ANOS. O que acontece porém, é que de apenas um acessório de decoração essa pulseiras passaram a ser um atrativo a mais para rapazes e moças (por que não) mal intencionados e os pedófilos de plantão, nem se fala! Se nossas crianças e jovens não tem atitudes suficientes para refletir em cima de questões como essas, onde estão os pais? Alguns deles, aliás, a maioria deles desconhece esse significado e tão pouco acreditaria numa estória dessas. 
Mas vamos aos fatos:
No dia 15 de março deste ano, uma menina de 13 anos foi estuprada devido ao uso dessas pulseiras. Os agressores nem conhecidos da garota eram, tratava-se de três desconhecidos que se aproximaram da menina apenas com a intenção de arrebentar a pulseira de cor preta e consumar o fato. O caso ocorreu em Londrina, mas não foi o único, em outros Estados o número de denuncias em relação a este assunto também é grande.
Agora imaginemos, nosso Estado tem um dos maiores índices de maus tratos a criança e ao adolescente e de casos de abusos sexuais a menores, sem contar em outros dados alarmantes dos quais não vou citar, com a venda livre dessas pulseiras e pessoas mal intencionadas rodando por aí, o que acham que iria acontecer? Eu mesma já imaginava uma situação dessas... agora deixar acontecer sabendo tendo-se consciência dos fatos é negligência e falta de amor e respeito ao próprio corpo e a própria vida. Abaixo segue algumas informações:
 
No entanto, existem estados da nossa federação que já tomaram medidas para inibir a venda e uso dessas pulseiras. Aqui mesmo, em nosso estado foi votado e aprovado o Projeto de Lei que proíbe o uso dessas pulseiras em locais públicos e nas escolas. É prevenindo que se evita o mal, não gostaríamos de ter nossos filhos (as), primos (as), netos (as), irmãos (as) vítimas como o caso citado acima.

Desabafo


Hoje estou aqui para postar algo que vem me intrigando e me entristecendo desde a virada do ano. Como bem sabemos e está sendo divulgado a todo momento na mídia, o nosso início de ano tem sido marcado por tragédias que chocaram o mundo pela sua violência. Vidas têm sido dissipadas em instantes e nós, meros seres humanos, nos vemos de mãos atadas sem saber a quem recorrer e o que fazer.
A primeira delas foi aqui mesmo no Brasil, em Angra dos Reis. Uma localidade conhecida pela sua beleza e onde muitas pessoas escolheram para comemorar o Ano Novo com suas famílias e amigos.
A segunda delas está sendo a do Haiti. Um país marcado pela pobreza e miséria de mais da metade da sua população.
O que tem em comum entre elas? As causas de toda essa tragédia. Isso mesmo! A força da natureza tem sido a causa. Em Angra dos Reis a força da chuva fez com que desmoronasse toneladas de pedras e terra em cima daquelas casas onde dormiam centenas de pessoas. A poucas distâncias dali, outra região sofria pela enchente que invadia casas. No Haiti, terremotos vêm provocando pânico. Um número incalculável de pessoas já morreram soterradas pelas estruturas de prédios e casas que caíram sobre seus corpos. E outras tantas estão feridas... são crianças, mulheres, idosos, homens... todos vítimas de uma força que o homem não pode controlar... ele bem que queria ter o poder sobre a chuva, sobre a enchente dos rios, sobre os ventos e sobre a terra... mas essa é uma conquista impossível!...
Infelizmente, esse mesmo ser humano é o culpado por tantas tragédias causadas pelos fenômenos naturais. Pois é ele o responsável pelo crescimento da camada de ozônio, ele responsável pelo número de desmatamentos e consequentemente diminuição de toda a área verde não apenas de nosso país como do mundo, é ele o responsável pela poluição e assoreamento de rios, lagos e mares e é ele o responsável pela vida deprimente de milhares de pessoas espalhadas pelo mundo a fora.
A verdade é que nos foi dado tudo, o suficiente para vivermos em harmonia com a natureza e termos uma vida saudável e digna, mas a ganância e o luxo fizeram com que esse "suficiente" fosse pouco e passamos a explorar mais e mais e mais... estamos acabando com o mundo e acho que muitos ainda não se conscientizaram disso.
Não adianta fazer tratados de diminuição de emissão de gases a atmosfera, não adianta fazer conferências de meio ambiente se a atitude dos países e de seus habitantes em querer melhorar todas essas catástrofes não venha em primeiro lugar.
Pessoas estão morrendo por causa de nossa imprudência e aquelas cenas fantásticas e assustadoras de filmes até então de "ficção científica" estão se tornando reais. Será que ver toda essa miséria espalhada pelas esquinas, todas essas mortes, crianças pedindo água e comida, morrendo de frio... será que isso não bate em nossos corações como um sinal de que devemos dar um basta nisso?
Tenho a certeza que podemos fazer alguma coisa sim. O que nos falta é atitude e união entre os países e entre seus próprios habitantes. Podemos fazer um mundo melhor.

No ônibus - parte II


Outra cena que me deixou chocada com a falta de amor ao próximo, respeito ou pelo menos tolerância as diferenças foi dentro do ônibus quando eu ia pra casa. Eu estava voltando de mais um dia de trabalho, peguei um ônibus lotado. Perto de onde eu estava, tinham duas senhoras sentadas, nada de anormal a não ser pela descrição a seguir da atitude de uma delas. Na parada mais próxima entraram várias pessoas, entre elas uma mulher negra, vindo também de mais um dia de trabalho, como praticamente todos ali dentro daquele ônibus... Foi automático o olhar da mulher que estava sentada.. e mais automático ainda o que ela fez quando essa mesma mulher negra sentou-se ao seu lado quando a cadeira se desocupou. Esta senhora se encostou ao máximo do banco do ônibus a fim de que a senhora negra não lhe tocasse, e quando esta última se sentou ao seu lado, foi inacreditável... ela se levantou e ficou em pé, na porta do ônibus... eu nem queria acreditar na impressão que ela me passou, mas quando vi que ela não ia descer na próxima parada, percebi sim que se tratava de puro preconceito. Gente, fala sério! Onde já se viu uma coisa dessas? Estamos em pleno século XXI e as pessoas ainda insistem nessa atitude? Pregam em propagandas nacionalistas que no Brasil não existe racismo, preconceito! Onde? Se é possível se presenciar atitudes banais como essas ou até mesmo piores. Acho que ainda não entendemos que somos iguais, não só em direitos, como em dignidade e respeito. 

No ônibus - parte I


Hoje estou aqui para falar de algo que aconteceu dentro do ônibus quando eu vinha para o trabalho... Isso mesmo, no momento estou no serviço. É mais uma daquelas cenas que te deixa pensativo e chateado durante todo o dia e imaginando: “e se fosse comigo? Minha mãe? Meu pai? Ou alguém idoso da minha família?”...
Pois é, eu estava vindo pra cá quando me deparei com essa cena... Uma senhora idosa, que ia saltar na próxima parada e pediu a cobradora para passar a sua carteira, registrando assim a sua passagem... no entanto, ela apresentava problemas de locomoção devido a idade e um desequilíbrio ali a faria cair. Somente a cobradora, mal humorada e mal amada não viu isso: despachou em cima da pobre senhora tudo que tinha de ruim dentro do coração. Disse que não iria passar a carteira dela porque ela (a senhora idosa) poderia perfeitamente levantar e passar a carteira na catraca mesmo descendo pela frente. Além de outras muitas coisas que vi e ouvi a cobradora dizer, a que mais me doeu foi ver a senhora idosa sem poder reagir... Uma senhora que pediu com tanta gentileza e educação que nós jovens e adultos muitas vezes não temos (o caso da cobradora do ônibus) que não merecia ouvir aqueles absurdos.
Escrevo apenas para registrar minha indignação... Primeiro, quem trabalha com o público deve estar sempre pronto a atender e a se colocar no lugar do outro, se está mal humorada não desconte em outros, se detesta aquela profissão se demite e dá lugar a outra pessoa que queira estar ali, se não gosta do trabalho e não pode se demitir porque precisa, o faça com prazer. Agora descontar em outros, e principalmente numa pessoa idosa suas frustrações e raiva não é nada profissional e muito menos humano. Um dia ela ainda vai chegar lá e concerteza se alguém a tratar assim ela não vai gostar... Desrespeito ao idoso é crime e nós devemos, pelo menos, nos lembrar disso!  

Álbum Mickey Baby


Este álbum foi o primeiro montado por mim para a confecção de um mural para o aniversário de um ano do meu filho. As montagens não são de autoria minha, encontrei na internet e são lindas e criativas. Estão hospedadas no servidor Hotfile, para baixar o álbum clique na imagem. As imagens estão todas em png.